Cirurgia de laqueadura para não engravidar mais – Onde fazer?

A laqueadura é o procedimento que faz com que a mulher não possa mais engravidar. É um procedimento que apenas impede a gravidez por via das trompas, mas que não impede outros tipos de gestação, como as por fertilização. Entretanto, fazer a laqueadura não impede a possibilidade de adquirir doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). As mulheres que podem fazer a laqueadura devem ter mais de 25 anos e já possuírem dois filhos. O número de arrependimento depois do procedimento é alto.

Cirurgia de laqueadura
Cirurgia de laqueadura para não engravidar mais – Onde fazer?

Cirurgia de laqueadura para não engravidar mais – Onde fazer?

A cirurgia de laqueadura pode ser feita por:

  • Laparoscopia: é um procedimento feito por vídeo. O médico faz três furos pequenos na barriga, ou ainda, através do umbigo.
  • Laparotomia: esse é o método mais comum no SUS, o Sistema Único de Saúde. É feito um corte horizontal na barriga, como na cesárea.
  • Histerescopia: através da vagina é colocada uma espécie de mola nas tubas uterinas. Depois de um período de mais ou menos três meses, elas são obstruídas.

Onde fazer

A cirurgia de laqueadura pelo SUS é gratuita, mas muito de ser conseguida, principalmente por causa dos criteriosos questionários e avaliações que as mulheres têm que fazer, o que resultam em uma grande fila de espera. Algumas mulheres preferem pagar a cirurgia porque é muito mais rápido. Hospitais como Vidas e São Luiz fazem a laqueadura. O preço da cirurgia em hospitais particulares costuma variar de R$ 2.000 a R$ 5.000. Às vezes menos ou mais.

Indicações

  • É indicado para mulheres que não podem engravidar por risco de morte ou para mulheres que não querem mais gestar;
  • Se for feita a retirada das trompas, pode ajudar na prevenção do câncer de ovários. Nesse caso, protege também contra infecções pélvicas.

Contraindicações

  • Alguma doença ou problema clínico que contraindique a cirurgia e/ou a anestesia;
  • Não estar grávida (os hospitais citados acima fazem a cesariana junta com a laqueadura);
  • Infecções que contraindiquem a colocação do “stent tubário”;
  • Não estar nos conformes da Lei 9.263/96 relativo ao Planejamento Familiar*.

Falhas

Há ainda a questão das falhas após a cirurgia da laqueadura. Depois de cinco anos de cirurgia, 2,3 a 16,5 mulheres em cada mil podem engravidar novamente. Depois que se passa dez anos, o número de mulheres nessas condições aumenta para entre 3,7 e 24,8 em cada mil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *